quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Aylan Kurdi, uma criança de três anos, apareceu morta na praia... Vítima da maldade humana e sua indiferença...






Carlos Antonio Fragoso Guimarães


Era uma criança de três anos..
Uma criança de três anos como também o é a filha do banqueiro...
Uma criança de três anos como um dos filhos do especulador de Wall Street...
Uma criança de três anos como também o é o neto do político...
Uma criança de três anos como tantas outras... Mas, ao mesmo tempo, diferente de tantas outras...
Aylan Kurdi pouco conheceu de confoto mas sentiu, ao contrário das citadas acima, a dor do medo, do desespero, da angústia sem nada entender...
O menino morreu afogado juntamente com seu irmão de cinco anos, Galip, e sua mãe, Rihan....
Morreram eles porque buscavam fugir do inferno que se transformou sua terra natal, a Síria...
Morreram porque sua terra e sua cultura, antes tomada e usada por ocidentais, foi loteada e e mercantilizada, depois tomada por déspotas (atrelados aos interesses do Ocidente) e, agora, devastada por fanáticos fundamentalistas do ISIS...

Morreram afogados, Aylan, a criancinha inocente, porque seus pais queriam um futuro para seus filhos...
O que eles - e tantos outros refugiados - encontraram?
Encontraram a a indiferença, o desprezo e a xenofobia de um ocidente que, cada vez mais mecanicista, cada vez mais capitalista, vira as costas para os que vêm de terras pelo ocidente "civilizado" explorado....

Um comentário:

  1. A tristeza invade o ar, a terra e todos os 4 cantos do mundo.

    ResponderExcluir